Estudo da proposta do Governo feito pelo Leonel, da PROPLADI

Conforme tabela 1, a atual proposta do Governo Federal para os servidores técnicos administrativos das IFES implica em perdas salariais entre 14,64% a 19,21% ao final do período 2013-2015, dependendo do índice inflacionário que utilizamos como referência. A tabela 2, ilustra os ganhos/perdas em termos reais que teremos, a partir de índices da aumento anual (2013-2015) entre 8,5% e 11%.

Considerando toda mística que se tem criado em torno da crise internacional (que se deve basicamente às taxas de juros exorbitantes cobradas por agiotas internacionais para rolarem as dívidas de países da zona do euro), podemos nos mostrar flexíveis com o governo e aceitarmos um aumento real  ZERO, apenas mantendo nosso poder de compra.

Penso que este índice seria representado pela correção de 10,5% a.a. entre 2013-2015. Vale lembrar que as previsões de inflação feitas pelas instituições financeiras vêm subindo bastante nas últimas semanas (conforme Relatórios Focus/BC), em sintonia com a queda consistente na Selic, entre outros fatores. Portanto, é possível que daqui a 2 ou 3 meses essa proposta de 10,5% a.a. acabe se mostrando até mesmo insuficiente para cobrir a variação do custo de vida dos servidores da carreira PCCTAE até jul/2015.

Ressalte-se que o PCCTAE é a carreira com o mais baixo piso salarial do Poder Executivo (e consequentemente de todo o governo federal). A perda de 19% do poder de compra é muita coisa para quem já vive com salários baixos – e deve-se levar em conta ainda que o crescimento das universidades/institutos não é só quantitativo, mas também exige estruturas organizacionais e realização de trabalhos cada vez mais complexos e sofisticados – que deveriam ser adequadamente valorizados.

TABELA 1: Estimativas de inflação e impacto da proposta do governo
Inflação e propostas do governo IPCA* IGP-M**
JUL/2010 a JUL/2012 12,44% 15,77%
Previsões Ago/12 a Dez/2012 2,24% 2,55%
Previsões 2013 5,50% 5,00%
Previsões 2014 5,00% 5,42%
Previsões 2015 (jan a jun)*** 2,40% 2,71%
Inflação jul/2010 a jun/2015 30,40% 34,97%
Proposta Governo (5% a.a. entre 2013 e 2015) 15,76%
Variação do poder de compra em jul/2015 comparativamente a jul/2010 -14,64% -19,21%
Variação média (IGP-M e IPCA) do poder de compra jul/2010 x jul/2015 -16,92%

*Todas as previsões para o IPCA têm como fonte o Boletim Focus do Banco Central
** As previsões para o IGP-M até 2013 têm como fonte o Boletim Focus do Banco Central. Para o período 2014 até jul/2015, utilizamos os mesmos valores (5%) previstos para 2013 com peso 0,75, e a inflação média do período jul/2010 a jul/2012 com peso 0,25.
*** Para o período jan/jun de 2015 dividimos por 2 a previsão de inflação anual.

Tabela 2: Simulações de impacto no poder de compra de propostas de aumento entre 8% e 10% a.a.
Outras possibilidades de proposta 8,5% a.a. 9% a.a. 9,5% a.a. 10% a.a. 10,5% a.a. 11% a.a.
Correção acumulada entre jul/13 e jul/15 27,73% 29,50% 31,29% 33,10% 34,92% 36,76%
Variação do poder de compra em jul/2015 comparativamente a jul/2010 (IPCA) -2,67% -0,90% 0,89% 2,70% 4,52% 6,36%
Variação do poder de compra em jul/2015 comparativamente a jul/2010 (IGP-M) -7,24% -5,46% -3,67% -1,87% -0,04% 1,80%
Variação do poder de compra em jul/2015 comparativamente a jul/2010 (Média) -4,96% -3,18% -1,39% 0,42% 2,24% 4,08%

por: Leonel de Miranda Sampaio – Economista na UFABC
Data: 09/08/2012

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s